Comi a mãe gostosa e as filhas virgens (Segunda Parte)



Click to Download this video!

Vou contar a sequência de como consegui transar com Silvia,a mãe gostosa, Danielle, linda e que exala sensualidade de seus 16 anos e Claudia, a mais novinha uma gatinha que as vezes a imaginação não consegue montar. Namorava a insaciável Silvia de 38 anos, mãe de Danielle de 16 anos, que tirei cabaçinho, passagem que contei no relato anterior: (Comi a mãe gostosa e as filhas virgens)
Naquela oportunidade para não ficar longo, nào expliquei como foi com Claudia de 15 anos. Definir e passar aqui sobre Claudia é dificil. Os adjetivos que conheço seriam poucos. Mas,tente imaginar uma menina-moça alta, cabelos pretos, ondulados, olhos verdes, dentes alinhados de um sorriso cativante; cintura fina com barriga firme e longa que sustentam um peitinho que parecem terem sido lapidados por um Deus, grandes para a idade, apontados para cima. A pele lisa, lábios vermelhos, mãos e unhas perfeitas, pernas roliças e até os pés delicados; vóz rouca (faz aulas de manequim). Esta garota estava sempre em meus sonhos, me masturbava pensando só em tocar naquele corpo,mostrar minha pica para aquela menina-femea. Quando transava com a Silvia, troquei o jogo de imaginação da Danielle, que já havia faturado por Claudia. A màe inicialmente foi contrária as insinuações, de tanto eu insistir aceitou. Nas trepadas eu falava sobre minha tesão em comer Claudia,. Pedia pra Silvia fingir que era a filha Com o tempo minha tesão foi aumentando. O namoro rolava eu transava com a mãe pensando na filha. Danielle de 16 já namorava. Faltava Claudia que cada dia ficava mais e mais gostosa. Comecei a pedir para Silvia para me ajudar a conseguir ficar com a filha, mesmo sabendo que era quase impossível. Não pedia implorava ajuda pra ficar com Claudia. No começo ela relutou, disse que não faria isso, mas depois, Silvia aceitou colaborar. Mas alertou “A Claudia você não vai conseguir, ela tem muita personalidade e parece toda certinha”. Insisti que ela deveria ter segredinhos. Claudia era inteligente, estudiosa, e sagaz. Silvia muito devagar comentava com ela nossas transas homéricas.dizia que meu pau era grande, como demoravamos nas transas, os locais mais loucos, enfim foi passando detalhes. Na casa delas, a Danielle estudava a noite e Claudia de manhã. A noite Danielle saia com os amigos e o namoradinho. Claudia com 15 anos, a màe não deixava sair muito. Numa noite, enquanto Silvia fazia o jantar, assistiamos TV na sala. Claudia de shortinho amarelo e uma blusinha degotada brincava com um cachorrinho de estimação, nossa!!! que pernas! a marca da chaninha ficava certinha…os peitos, durinhos e grandes..uma delícia meio a mostra com os biquinhos marcados. A barriga de fora lisinha levemente bronzeada. Meu Deus!!!! eu não conseguia tirar os olhos..respondia algumas perguntas dela com esforço..a vóz não saia. Estava hipnotizado. Meu olhar batia nas pernas subia pela cintura nos peitos na boca. Confesso que as vezes a gente vira animal. Silvia veio na sala e percebeu minha tesão. Não disse nada. Meu pau estava latejando dentro da calça, molhou com o líquido lubrificante. Claudia correu atrás do cachorrinho e parou perto de mim, ficou a meio metro, senti aquele perfume, um frescor que só uma menina tem. Meu coração queria sair pela boca. Falei quase em sílabas pra ela que estava alí pertinho agachada com o cãozinho: “Claudia você está demais…assim você me mata…olha seu corpo..”ela sorriu e eu continuei..”tudo em você é perfeito..você é gostosa.. me deixa louco..olha só como estou..”mostrei minha calça jeans com um volume atravessado e a ponta umedecida. Esfreguei a mão encima dele e ela alí..ficou vermelha..imaginei..vai me dar um tapa..não disse nada… levantou.. eu vermelho como um peru..disse “desculpe Claudinha foi impossível conter..você é demais!!” ela saiu da sala com o cachorrinho embaixo dos braços. No jantar estava normal como que se nada houvesse. Dias depois perguntei para Silvia se a filha havia comentado e contei o que houve. Silvia respondeu que Claudia havia perguntado como é que ela conseguia fazer sexo anal se eu tinha o pênis grande e, ela explicou.. Num domingo de manhã Silvia foi levar a filha Danielle e as amigas num cidade proscima para uma excursão. Demoraria uma hora. Ficamos eu e Claudia em Casa. Claudia estava de moleton azul que escondia suas curvas perfeitas. Logo que elas saíram..eu devia preparar a carne para o almoço..não conseguia pensar em outra coisa..só naquela gostosinha, sozinha comigo. Enquanto ela fazia um lanche na mesa da cozinha eu sentado na frente dela, voltei ao assunto da sala e revelei que só pensava nela mas sabia que não era certo etc etc.. ela só ouvia e com um sorriso disse “você maluco, só pensa nisso, quase mata minha mãe quase todo dia e acho que ficou com Danielle..ví ela te beijando um dia” eu estava de pé encostado na pia, de frente pra ela, só em falar sobre o assunto, meu pau fez uma barraca na calça social. Ela deu uma olhada demorada para o volume levantou devagar e foi para o banheiro, saiu foi no quarto, eu fiquei na sala. Do sofa ví ela passar e ir para o quarto da mãe, pegou uma roupa e ao voltar para seu quarto disse “quando é que vai conseguir um emprego para mim”entendi que ela havia puxado assunto, levantei fui até a porta, percebi movimentos .ela estava se trocando…fui falando que iria ver e olhei para dentro..ela estava de sutian e prendia uma mini saia.. fiquei a uns dois metros e, de novo com voz embargada disse nossa você está de arrepiar…ela respondeu porquê? você está um mulherão! ela colocou uma mini-blusa até meia barriga e sentou para pentear o cabelo.. não aguentei a visão..disse pra ela..num murmúrio..da porta do quarto ela de lado olhando o espelho, Claudia desculpe mas vou me masturbar..não dá mais…tirei o pau grosso uma rocha..todo prá fora e comecei a mover..ela seguiu..tranquila só com o rabo do olho..não dizia nada..meu pau babava..fui chegando perto…encostei no braço dela..lambuzou..percebi que ela estava vermelha e respirando mais rápido.. meu pau tocou no peitinho..ela olho…primeiro o pau depois para mim ..falou baixinho..alguém pode chegar..falei não..ninguém vem agora.ela levantou para sair..eu implorei por favor Claudia deixa ao menos eu te olhar e masturbar..ela parou e sentou na cama. Mexia o pau de cima em baixo vinte e dois centimetros de vermelhidão, cheguei perto e pedi pra ela pegar ela se negou virou de lado, eu aproveitei para tocar o pau no pescoço dela que ficou todo melado. mais uma vez ela levantou abracei ela por tráz e disse : pelo amor de Deus Claudia deixa eu te tocar.. ela ficou quieta eu fui acariciando com meu pau gradado na bundinha sobre a saia. beijava nos ombros sobre a blusa fui pro pescoço com beijinhos ela dobrou um pouco a cabeça para tráz, ofegante..fui beijando pelo lado o rosto beijinhos..levantei a saia e coloquei o pau..nas pernas ela disse não..eu falei só para não machucar ele na saia..me pau tocava nas pernas e na calcinha..tava virando um lodo com tanto lubrificante. Se eu não tivesse comido a màe Silvia a noite várias vezes (pensando na Claudia algumas) já teria gozado. Com o pau roçando nas pernas e beijando por trás percebi que ela estava doidinha e não iria escapar..quando menos espero ela saiu, foi para a cozinha, escutei a chave na porta..fiquei estático..o que eu fiz..ela foi na sala passou a chave também..retornou e chegou perto de mim, pegou minha mão e disse, venha aqui…me puxou num quartinho de roupas sem passar e foi só entrar me beijou..nossa que beijo..pensei que ela não soubesse… desceu a mão no meu pau tirou pra fora..e u fui beijando tiramos a roupa alí apertadinho no escuro ..quando tirei a calcinha dela e passei a mão na bucetinha ela deu um gemido e eu ao sentir o grelinho comecei a gozar pela barriga dela..gozei e o pau não muchou..ainda beijado aquela boca vermelhinha..coloquei o pau,estavamos de pé na bucetinha..ela levantou um pouco a perna..tentei entrar não consegui..deitamos no chão no piso de madeira mesmo e beijando na boca deitei sobre ela..ela só dizia devagar.. põem devagar..coloquei o pauzão encima em fui penetrando..devagarinho..como se fosse uma viagem de quilômetros..foi indo passava de baicho até em cima da xaninha. fui deixando ela com mais tesão..num determinado momento ela deu um grito..acho que gozou…e me puxou pela bunda…foi..foi..foi…entrou tudo..mais uma vez e mais forte um grito..deve ter sido o cabacinho..senti que ela tremeu toda. Metia até tocar nos bagos e ela fodia e me beijava..gozei dentro dela…comi ela por mais de uma hora. que gostoso..só em lembrar estou todo melecado..A Claudia, assim como Danielle a irmã de 16 depois da transa não falam nada..como foi a pouco tempo..estou esperando que volte a acontecer. Ainda não contei que comi a Claudia para a Silvia.. meu sonho é agora ficar um dia com duas ou quem sabe as três..meu Deus isso seria o paraiso multiplicado na terra.. Até mais. muito..