Roubando calcinha



Click to Download this video!

Bem meu nome é Cláudio hj tenho 19 mas tudo começou quando fiz 11 e acordei com o pinto saindo um negócio branco parecendo leite e ate o resto do ano quase toda manhã acordava e meu pinto tava desse jeito.
Num domingo estava na laje empinando pipa e quando olhei pro quintal da minha vizinha vi ela tomando banho de biquíni e com a mangueira molhando o corpo todo. Ela era uma negona alta muito gostosa neste momento percebi q minha pica ficou dura e latejando. Eu fiquei ali escondido olhando e de repente ela tirou a parte de cima do biquíni e logo em seguida a parte de baixo deu pra ver pouca coisa pq ela se enrolou rapidamente na toalha. Mas eu fiquei doido meu pinto estava tão duro e latejando e uma sensação gostosa no meu corpo então desci da laje e fui para o beco onde dava pro quintal da minha vizinha isso tudo pra ver se via mas alguma coisa e quando cheguei perto vi ela estendendo o biquíni no varal.
Senti um desejo louco de pegar aquela peça e sentir o cheiro dela.
Esperei um tempão e depois pulei o muro e fui la peguei a calcinha do biquíni e voltei pro beco.
Era pequena a calcinha verde e no lugar que ficava a buceta era creme e tinha uma manchinha esbranquiçada.
Tratei logo de por no nariz ah ah ah e logo na terceira vez que eu cheirei sentir meu corpo todo tremer e a pica ficar pulsando dentro do short e quando eu tirei pra fora e esfolei sentir algo muito gostoso e estiquei novamente com força e de imediato espirrou leite saindo quase uma colher de sopa.
Isso foi tão gostoso que eu queria mais e percebi que o que me fez ficar assim foi a calcinha da vizinha.
Depois disso fiquei viciado pegava as calcinhas da minha mãe da irmã da vizinha cada uma exalava um cheiro diferente mas todas me davam muito prazer em cheirar e eu adorava ver saindo leite da pica.
Um dia cheguei da escola e minha prima estava la junto com minha madrinha ela tinha uns 15 anos e eu ouvi uma conversa estranha na cozinha que dizia que minha prima estava namorando escondido. Nisso ouvi minha madrinha dizendo que ela já devia estar molhando as calcinhas.
Isso agiu como uma bomba pra mim me deixando curioso pois queria entender o que significava molhar as calcinhas.
Na semana seguinte minha avó fez um caruru e a família toda ta la em casa inclusive minha prima e seu namorado.
Eu fiquei o tempo todo na cola deles vigiando. Minha outra prima a irmã dela Taís também ela tinha 12 mais velha que eu alguns meses.
Todo lugar que eles estavam eu e Tais estávamos la espionando.
Minha curiosidade era saber o que faziam pra ela molhar as calcinhas e Tais queria ver os dois se beijando pra aprender.
Mas nenhum dos dois sabiam o que o outro queria vigiando o casal.
O dia foi passando e nada acontecia.
Chegou a noite e a casa estava cheia de gente e eu já tinha ate me esquecido quando Taís chegou correndo e no meu ouvido falou:
– vem ver rápido eles estão na laje
Fomos a toda e subimos as escadas devagar Tais na frente e eu atrás e ficamos nos degraus.
Eles estavam no canto da pilastra se beijando e se agarrando ficamos ali olhando os dois.
E eu so pensava se ela tava molhando a calcinha.
Nisso teve um momento que vimos a mão dele apertar a bunda da minha prima ela tirava mas ele passava denovo e apertava.
E teve um momento que ele passou na frente também. Minha prima Tais quase estraga tudo nessa hora do susto que teve em ver o namorado de sua irmã alisando sua periquita.
E no momento eu so imaginava saber se a calcinha dela tava molhada.
Queria tanto saber que deixei escapar e falei:
– não da pra saber se ta molhada so pegando depois pra ver.
E na hora Tais não entendeu e perguntou:
– o que?
Não tive escolha e acabei dizendo pra ela e contei tudo, menos o que pretendia fazer com a calcinha.
Tais na hora achou estranho mas disse que também ficou curiososa e queria ver.
Nisso como minha madrinha e elas iam dormi la em casa.
Tais disse que me ajudaria pegar a calcinha da irmã pra ver se depois do namoro a calcinha ficava molhada.
Todo mundo foi dormi e de manha acordamos com o mesmo pensamento pegar a calcinha de Tatiana.
Esperamos o povo tomar café e quando a irmã pediu a toalha pra tomar banho Tais ficou de orelha em pé.
Não demorou muito ela voltou do quarto sorridente me chamando pra ir na laje.
Eu achei melhor irmos pra debaixo da escada.
Quando entramos atrás do beco debaixo da escada ela abriu a mão e mostrou a calcinha branca com detalhes de coração. Eu pedi pra ver. Ela me deu e eu queria cheirar mas me contive e tratei de ver a parte da buceta pra ver se estava molhada.
Mas não tava tinha apenas uma macha esbranquiçada e um ponto bem forte tinha um negócio grudadinho parecendo cola.
Ficamos decepcionados mas eu sabia que estava cheirando a xereca e minha pica já estava dura de vontade de cheirar mas não queria fazer isso na frente de Tais.
Pedi pra ela ir embora que depois eu levava a calcinha. Mas ela não concordou dizendo que tinha que devolver pra a irmã não desconfiar.
E quando ela foi pegar a calcinha da minha mão percebeu que meu pau estava duro dentro do short e começou a rir colocando a mão na boca.
Eu quis esconder mas era inútil.
Nisso ela perguntou:
– por que ta assim?
Eu não queria dizer mas não teve jeito.
E falei:
– Se eu te contar promete que não vai rir?
Ela concordou mas vi que queria rir.
E quando falei que saia leite quando eu cheirava a calcinha ela se assustou mas ficou com cara de curiosa. E deu ate risada.
E não acreditou.
Então eu retruquei:
– vc duvida? Me da a calcinha pra vc ver.
Então eu peguei a calcinha e coloquei no nariz bem a parte que fica a xoxota. Ah ah que delicia tava com cheiro de xixi e buceta. Tinha um cheiro forte. Com a outra mão tirei a pica pra fora do short e esfolei.
Tais se assustou um pouco em ver mas a curiosidade de ver sair o leite era maior.
Porém estava demorando e ate eu já estava sem jeito por que não demorava muito e logo saia e dessa vez eu já tinha cheirado muito e esfolei a rola umas cinco vezes e nada.
Tais já queria sair e tava achando que eu era mentiroso e pediu a calcinha da irmã de volta pra levar.
Eu não entendia por que não saia o leite.
E com o pinto duro devolvi a calcinha e na hora me deu a ideia.
– Tais me da a sua então pra ver se com a sua eu consigo.
Ela: De jeito nenhum a minha nem pensar.
Eu insistir dizendo que a dela deveria ter um cheiro mais gostoso que a da irmã e sairia o leite.
Nisso ela riu e disse:
– Nem pensar e pegou a calcinha da irmã e saiu.
Eu fiquei ali meio que frustrado porque era a primeira vez que eu tinha cheirado uma calcinha e não tinha saído leite.
Fiquei ali um tempo mexendo na pica mas aquela sensação gostosa vinha e ia embora e não saia leite.
Quando já ia sair Tais voltou dizendo:
– cade ? Vc não disse que saia leite?
Me arrependo ate hj de não ter dito pra ela chupar.
Mas era inocente e burro.
Ai ela falou assim:
– eu sabia que não saia leite nenhum vc so inventou isso pra eu pegar a calcinha.
Me deu uma raiva e eu respondi:
– como posso fazer se vc levou a calcinha?
Ai ela retrucou:
– e vc so consegui cheirando a calcinha?
Eu não sabia responder ai ela fez assim:
Levantou a saia dizendo assim tem que ser rápido.
E puxando a calcinha de ladinho mostrou a bucetinha lisinha.
Nem acreditei no que estava vendo e com a rola na mão um instinto animal me tomou e eu comecei a esticar e esfolar a pica cada vez mais forte desejando comer aquela xotinha toda gordinha muito linda e de repente minhas pernas começaram a tremer meu coração disparou e urrando feito um cavalo esporeei saiu uns dois jatos de leite quase melando a Tais ela deu um salto pra trás abaixando a saia enquanto derramava o leite da pica.
E eu so me lembro de dizer:
– não falei não falei que saia leite e rindo ficava repetindo ta vendo ta vendo que saiu leite.
Depois saímos dali eufóricos
Me arrependo de não ter comido a puta da minha prima por que ela acabou contando pra minha madrinha e eu quse tomei uma surra.